Na próxima semana, uma iniciativa que mistura cinema e teatro estreará em Santa Maria. É o filme “Nas Margens do Riso – Quilombos de Alegria e Luta”, que registra as incursões do Teatro VagaMundo por nove comunidades Quilombolas Rio Grande do Sul afora. Registrado entre Setembro e Novembro de 2014, o documentário intercala registros da interação entre o grupo de teatro e as comunidades com relatos dos próprios quilombolas acerca de suas experiências de vida.

Responsável pela direção do filme, o cineasta Pedro Krum destaca o impacto que o projeto teve sobre sua visão de mundo e a das comunidades abordadas.

– A maioria [dos Quilombolas] nunca viu um espetáculo, ou sequer um palhaço, pessoalmente.  As reações em seus rostos nos dão a certeza de que o projeto atingiu seu maior objetivo, que é apresentar novas experiências a estas pessoas e de alguma forma marcar suas vidas através da arte e do riso – conta.

Responsável pela produção do documentário, Atílio Alencar explica que, além de levar teatro para estas comunidades, a equipe também tinha como objetivo fazer um registro da vivência com a população local.

– Estabelecíamos uma conversação demorada com os moradores mais antigos, buscávamos saber das raízes de cada quilombo, das histórias que formavam o imaginário de cada comunidade, das dificuldades de obter o reconhecimento legal da posso de seus territórios – explica.

Um dos protagonistas das visitas do Teatro VagaMundo a estas comunidades era o Palhaço Rabito, personagem de Daniel Lucas. Para o ator, o caráter marginalizado do palhaço foi um ponto chave do projeto.

– O palhaço é uma figura transgressora, representa um comportamento às avessas, um ser que perdeu sua dignidade porque a sociedade lhe roubou, mas o que faz dele um ser admirável e cativante é a sua capacidade de subverter e reinventar a lógica do mundo. Rir de tudo que o cerca – afirma.

É evidente que a iniciativa não vai ser divulgada apenas em Santa Maria. Segundo a equipe, “Nas Margens do Riso – Quilombos de Alegria e Luta” logo deve ser disponibilizado para um público mais amplo.

–  O documentário deve circular bastante e ser exibido não só em festivais e sessões convencionais de cinema e vídeo, mas também – e principalmente – nas comunidades onde o material foi gerado – conta Atílio.

Crédito da imagem: Pedro Krum

Confira o trailer de “Nas Margens do Riso  – Quilombolas de Alegria e Luta”.

Nas Margens do Riso – Quilombos de Alegria e Luta (TEASER) from Pedro Krum on Vimeo.

Beba com moderação, não ofereça bebidas alcoólicas para menores de 18 anos.