Do rock n’roll minimalista até o blues rock, Jack White já amadureceu bastante desde os tempos em que combinava camisetas brancas e calças vermelhas no White Stripes. Hoje, assumindo uma persona meio Elvis meio Tim Burton, o músico vive um auge em termos de criatividade e credibilidade em relação a crítica e público. Ex-membro de bandas como Dead Weather e Racounters (além, é claro, do White Stripes), o músico apresenta seu projeto solo para o público porto-alegrense na noite de hoje (24). Confira sete canções que marcaram a carreira do músico.

Fell in Love With a Girl:

Em seu primeiro hit internacional, o White Stripes impressionou pela urgência e pelo primitivismo em arranjo e produção. O sucesso de “Fell in Love With a Girl” fez a banda ganhar visibilidade internacional, logo a dupla estava abrindo apresentações dos Strokes ao longo dos Estados Unidos.

Dead Leaves in the Dirty Ground:

Se “Fell in Love With a Girl” serviu para chamar a atenção do público através de murros e pontapés, “Dead Leaves in The Dirty Ground”, do mesmo disco, mostrou um lado mais lírico do White Stripes. Sem deixar de ser crua, a música mostrava um lado mais contemplativo da banda.

Seven Nation Army:

Um dos maiores hits da década passada e um dos riffs de guitarra mais conhecidos do rock n’roll, hoje “Seven Nation Army” tem seu arranjo entoado por torcidas futebolísticas do mundo inteiro. Com essa canção, Jack White conquistou um posto cativo entre os grandes compositores contemporâneos.

Blue Orchid:

Fugindo do minimalismo dos discos anteriores rumo a uma riqueza maior nos elementos musicais e estilísticos, em “Blue Orchid” o White Stripes apresentou peso e alto grau de teatralidade. Uma canção dançante que, ao mesmo tempo, causa certo estranhamento. Algo que Jack White sempre gostou de explorar.

Steady as She Goes:

Primeiro produto de um dos vários projetos paralelos de Jack White – The Racounters – ,Steady as She Goes mostra um lado menos preocupado com questões estéticas e mais voltado à diversão. Um rock despreocupado com refrão ganchudo e certa influência de Creedence Clearwater Revival.

Treat Me Like Your Mother:

Já em seu segundo projeto paralelo, uma parceria com – entre outros – Alison Mosshart, do The Kills, Jack White investiu fundo em uma sonoridade mais crua e agressiva. O som da banda ganhava força pelo tom combativo da dupla de cantores e pelo humor negro inerente às composições.

Lazaretto:

Já em seu projeto solo, “Lazaretto” sedimenta Jack White como um grande artista. A partir desta canção, o músico já não é lembrado pela banda que o revelou, mas sim pelo seu talento individual. Hoje o músico é respeitado por grandes nomes como Robert Plant e Bob Dylan.

 

Beba com moderação, não ofereça bebidas alcoólicas para menores de 18 anos.